Other Idioms

sábado, 25 de julho de 2015

BAIXA AUTO ESTIMA

                       Auto estima é a sua auto analise, é como vc se vê. Se vc se enxerga como uma pessoa completa, que não necessita de uma aprovação de outrem sobre suas escolhas ou ações, parabéns, as chances de vc ter uma boa auto estima são grandes. Agora, se você sente necessidade de um reconhecimento público, de uma aprovação de sua conduta por terceiros e é extremamente sensível a críticas, seja bem vindo, pois vc pode estar no mundo da baixa auto estima.
                    
                       Mas o que isso tem a ver com pornografia? É isso que eu estou tentando descobrir! No que a baixa auto estima contribui para um acesso ao mundo pornográfico? Olha confesso que ainda não tenho respostas prontas, apenas reflexões...
                
                       O que posso constatar em minhas leituras sobre alguns depoimentos é que a pornografia é mais frequente em pessoas que se auto intitulam com baixa auto estima.

                       Como eu também estou neste mundo da baixa auto estima, posso constar um sentimento frequente em algumas pessoas pertencentes a este mundo: Fragilidade, impotência, incapacidade, medo, rejeição, tristeza, derrota, etc.

                       Ora, fragilidade no que vc contribuí para um acesso pornográfico? E vc tristeza, medo, impotência, rejeição, incapacidade, derrota, etc.?

                       Acho que a pornografia pode ser um bode expiatório onde podemos despejar o nossos sentimentos de derrota, ela é o lugar onde não podemos ser vistos, onde não precisamos nos aparecer para nínguem, é o paraíso do prazer e do isolamento (atitude frequente em pessoas com baixa auto estima).

                      Será que a chave não pode ser: resolvermos nosso sentimento de inferioridade? Quando nos sentimos inferiores ficamos mais fracos na guerra contra a pornografia.

                      Por hj é só, fiquem com Deus!




9 comentários:

  1. Oi, tudo bem? Tenho um entendimento um pouco diferente de auto estima, mas está relacionado ao que você descreveu. O que você descreveu, em minha forma de classificar, coaduna mais com a ideia de autoimagem. Auto estima seria a satisfação ou insatisfação de alguém com a própria autoimagem, conforme seja ela positiva ou negativa. Uma autoimagem negativa leva o sujeito a uma baixa autoestima.
    Nesse ponto discordo também da própria nomenclatura auto estima, que penso, alguém adotou como melhor tradução possível a uma classificação internacional geral. Assim baixa autoestima, equivaleria por exemplo, a um baixo gostar de si. Não sinto assim as pessoas com baixa autoestima, ao contrário, sua depressão e ansiedade resultante de baixa autoestima é fruto, justamente de um gostar de si. Sua depressão e ansiedade resulta do contraste entre o querer ser (a imagem que a pessoa acha que merece ter) e o que ela pensa que é, ou seja, a sua autoimagem negativa. Desse querer ser e não poder é que resultam em parte as depressões.
    Pra mim a solução para essa pessoa de autoimagem negativa e portanto baixa autoestima está em criar uma autoimagem positiva e isso só é possível no dia-a-dia, pouco a pouco, através de processos que confrontem os fatos e situações que levaram, pelos resultados funestos, essa pessoa a enxergar-se tão mal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, obrigado por sua contribuição!!! abs.

      Excluir
  2. Oi tudo bem? Sou eu de novo. Acho interessante você ter detectado que uma autoimagem negativa "Fragilidade, impotência, incapacidade, medo, rejeição, tristeza, derrota, etc." contribua com o vicio em pornografia. Em minha própria experiência:
    1. As injeções de variados tipos de hormônios no cérebro pelo ato voyeur anestesiam a mente imediatamente contra todo o sistema que gera ansiedade e depressão na pessoa: derrames de neurotransmissores que promovem o prazer (cancela a tristeza e sentimentos afins como desanimo, etc); e também derrames de adrenalina por fazer algo escondido, proibido e estar-se a um passo de ser descoberto, faz dar um fôlego ao ânimo e a sensação resultante é de bem estar. Claro, depois que tudo passa só fica a sensação de mal estar por ter visto de novo... Responda se não é assim.
    2. Observando minha própria fisiologia mental, percebi que uma parte do cérebro muito primitiva não distingue o que é pornografia. Não imagina tratar-se de artificialidade. O resultado disso é o sentimento [automático] de CUMPLICIDADE com os participantes dos filmes e imagens. Pense por um momento e discirna os seus próprios sentimentos enquanto assiste a um pornô, veja se consegue distinguir esse sentimento de vinculo com as atrizes das cenas (um sentimento quase de cumplicidade). É o que o seu cérebro está procurando, meu amigo, vínculo. Contato sexual e humano com uma parceira humana. Por isso ficou em você essa sensação de que a fragilidade, impotência, incapacidade compelem o indivíduo a essa prática.

    "Fragilidade, impotência, incapacidade, medo, rejeição, tristeza, derrota, etc" como você disse, são o que desautorizam a ter vinculo com pessoas. O sujeito não pode ter um vinculo sexual ou conjugal porque sua autoimagem diz que ele não consegue e os sentimentos acima mencionados negam toda e qualquer possibilidade de tentativa.

    Estou afirmando que negam a possibilidade de tentativa. O sujeito não consegue sequer tentar.

    Pornografia, de maneira inadequada, torta e adoecedora, é o que proporciona à uma parte de sua mente esse vinculo desejado, mas isso é uma ilusão. Por ser ilusão não cumpre o papel do vínculo verdadeiro que é desejado pela psique.

    Se o que te disse puder, de alguma maneira, ter sido útil à você, fico satisfeito, pois em meu próprio problema particular só caminhei até aqui.

    Desde que descobri essas coisas, pornografia perdeu o sentido para mim, mas o gatilho, que são: apetite sexual e necessidade de vínculo permanecem, algo que só encontrará resolução na vida real e no encontro humano com pessoa decente e aqui me refiro a ter uma parceira que valorize essa questão conjugal, pois estar com alguém que faça de sua vida sexual uma putaria (desculpe o termo) semelhante a pornografia, fortalecerá, eventualmente, todo esse conjunto de sentimentos que você já detectou como favorável ao vicio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado amigo, concordei com seu ponto 1. Obrigado pela ajuda. abs

      Excluir
  3. Acho que a questão não é a forma que o autor do blog colocou o tema baixa estima,qualquer leigo entende o que ele abordou,parabenizo pelo projeto,e lamento muito por pessoas que no desespero desse vicio tiram suas próprias vidas,que no noticíario ninguém vai revelar o motivo de um suícidio,mas todos sabem que isso leva a morte.Vamos deixar de lado as discordâncias do ponto de vista de cada um e ajudar o próximo que é muito mais humano!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. evidente que ele quis ajudar. quem estar polemizando é vc.

      Excluir
  4. Olá, gostaria de salientar que meu objetivo ao publicar as descrições acima não são no sentido de discordar de ninguém. Como dito são descrições do que observo acontecer. Meu propósito é somar, não subtrair. Quando o autor do tópico diz que concordou com um ponto do meu discurso isso pra mim é motivo para comemorar, pois me informa que fui feliz na minha descrição e qualquer discordância dele também, pois me informa que cada cabeça é um mundo. Acho louvável o seu esforço em criar um blog com esse tema e o meu objetivo foi fazer uma contribuição, pois se os nossos pontos de vista forem diferentes sem dúvida alguma o objetivo é parecido. O de poder ajudar e contribuir de alguma forma.
    Acolho críticas, mas estas tem de ser fundamentadas e com vistas a uma adição. Em nenhum momento discordei do autor do tópico e se parece assim em algum momento deixo agora registrado de que não foi o caso.

    ResponderExcluir
  5. Prezado autor do tópico. Como você, fui/sou viciado em pornografia. Digo que sou pois os gatilhos responsáveis por um comportamento voyeur ainda atuam em mim, simplesmente não consigo, tem mais de ano, consumir o material pornográfico por isso também digo que fui e não sou mais.

    Meu propósito em divulgar as descrições acima não foram o de confrontar o seu ponto de vista, acredito que tenha percebido isso, mas de tentar fazer a ponte entre a sua descoberta e o meu resultado, pois um dia também percebi que timidez e baixa autoestima alimentavam de certa forma esse vício.

    Estou acompanhando o seu blog e torço que tenha sucesso em todos os seus empreendimentos, e em especial para agora, nesse propósito de ajudar quem está envolto no problema da pornografia. Só quem padece é que sabe. Sucesso e fique com Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Relaxa amigo, estamos aqui em prol de um mesmo objetivo. um forte abs e obrigado!!!

      Excluir